Existe uma taxa aceitável de acidentes?

Existe uma taxa aceitável de acidentes?

Trabalhar com segurança deve ser uma rotina enraizada na cultura da empresa.

Qual o número de acidentes de trabalho considerado aceitável: 500, mil, dez mil?

Talvez, se falarmos em índice fique mais fácil mensurar. Se sua empresa apresentasse uma taxa de acidentes em torno de 0,5% ao ano, esse índice seria aceitável?

Metas, resultados, análises, custos, erros, lucro: todas as métricas de uma companhia giram em torno de números. Claros e objetivos não deixam margem para dúvidas, porém, quando falamos em taxa de acidentes, eles escondem o ponto mais importante: o fator humano.

Quando falamos da segurança dos colaboradores de uma empresa, ou da nossa nossa própria segurança no dia a dia do trabalho, torna-se um pouco mais difícil analisar apenas os números.

Afinal, e se entre essa taxa aceitável estiver um membro de nossa família, do nosso círculo de amizades, ou de nosso convívio mais estreito?

Quando deixa-se de olhar tais números como simples estatísticas e passasse a encara-los de forma humana, qualquer taxa é inaceitável. Além dos impactos diretos ao trabalhador e sua família, o empregador também sente o ônus da fatalidade.

Infelizmente, segundo o Ministério Público do Trabalho, em 2018 o Brasil registrou um aumento nas mortes por acidente de trabalho, depois de 4 anos seguidos de queda.

A única forma de evitar as fatalidades é trabalhar na prevenção. Trabalhar com segurança deve ser uma rotina enraizada na cultura da empresa. Para isso é necessário treinamentos, tanto de boas práticas, quanto de correta utilização de máquinas, equipamentos, EPIs e EPCs.

Grande parte dos acidentes de trabalho acontecem por negligência na utilização de EPIs. A verdade é que se o funcionário não entender o risco ao qual está exposto, não fará o uso correto dos equipamento, ou fará somente quando o técnico de segurança estiver por perto.

Outro fator de risco está relacionado a manutenção de máquinas e equipamentos. Estabelecer procedimentos de bloqueio e travamento, identificar e sinalizar corretamente os aparelhos são pontos cruciais para evitar acidentes.

Falar sobre segurança é uma tarefa interminável, mas, recompensadora quando o aprendizado e conceitos adquiridos são transmitidos para além da organização.

Treine, conscientize e forneça equipamentos de qualidade aos seus colaboradores. E lembre-se de sempre observar as informações, orientações e a validade dos EPIs pelo CA (certificado de aprovação).

Gostou do conteúdo? Compartilhe nas redes sociais e conte-nos nos comentários o que sua empresa tem feito para zerar os acidentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.